0%
Posted inCosta2015

Precisamos de um governo de cultura

luissoares/Posted on /Comments Off

Precisamos de um governo de cultura

 

“Mais importante do que termos um Ministério da Cultura, precisamos de um Governo de cultura”, afirmou hoje António Costa que juntou centenas de culturais, em Lisboa. “Sabemos que as contas são importantes”, prosseguiu António Costa, “mas um país é antes de mais uma ideia de si próprio – uma ideia que se transmite de geração em geração e que se forma através da sua cultura.”

 

“Além de todos os danos que este Governo causou, o mais grave foi ter destruído a autoestima deste país”, reforçou Costa. Antes do líder dos socialistas discursar falou Joana Vasconcelos. “Acredito num Ministério da Cultura forte, com ministro e orçamento”, disse a conceituada artista plástica.

 

Tomaram ainda a palavra Pilar del Rio, viúva de José Saramago, que apelou a uma concentração dos votos da esquerda no PS e em António Costa; e Carrilho da Graça que defendeu que “uma mudança no país é indispensável” e que espera de Costa “um Governo solidário e patriótico.”

Foram muitas as personalidades da cultura que se mobilizaram no apoio a António Costa. Da área da música estiveram presentes os fadistas Camané, Carlos do Carmo e Gisela João, mas também João Gil, António Vitorino de Almeida, Ruy Vieira Nery e Manuel João Vieira. Da área do cinema e do teatro marcaram presença Maria do Céu Guerra, António Pedro Vasconcelos, Joaquim Leitão, Vítor de Sousa, Carlos Fragateiro, Diogo Infante, Cláudia Borges, Io Apolóni, José Wallenstein e Sílvia Rizzo.

 

Entre figuras das artes e gestores culturais, destaque para Abílio Leitão (fotografia), Alexandre Melo, Mega Ferreira, José Manuel dos Santos e Simoneta Luz Afonso. Já em relação à arquitetura, design e escrita, compareceram o ensaísta Eduardo Lourenço, a historiadora Irene Pimentel, Helena Vieira, Fernanda Fragateiro, Leonor Xavier, Henrique Cayatte e Augusto Cid.

 

O post Precisamos de um governo de cultura aparece primeiro no António Costa – Alternativa de confiança.



Fonte: costa2015.pt
Precisamos de um governo de cultura